Como economizar durante a pandemia

Como economizar durante a pandemia?

Economizar durante a pandemia

A pandemia da Covid-19 foi causa do isolamento social mais rigoroso de uma geração. Como economizar durante a pandemia se tornou uma questão essencial. Afinal, muitos estão sem trabalhar ou com salário reduzido, enquanto os Estados vão gradualmente relaxando o isolamento.

Não é preciso dizer que as contas ainda precisam ser pagas e as compras devem ser feitas. Mas no Brasil a cultura da economia ainda pode ser mais explorada. 

Em 2019, uma pesquisa realizada pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) mostrou que 67% dos brasileiros não guardava nem uma parte dos rendimentos mensais.

Essa é a média de todas as classes sociais. Entretanto, quando analisamos as classes C, D e E, o número sobe para 71%. Nas classes A e B as pessoas que não poupam chega a 54%.

Portanto, não é difícil perceber que os brasileiros estão em uma situação difícil durante a pandemia. Aliás, essa situação se complica pelo fato de que as pessoas não economizam por que não podem e não sabem como fazê-lo.

Esse texto está aqui para mostrar que é possível economizar em tempos de pandemia. E nem é tão difícil assim.

1 – Busque programas de fidelidade

Marcas que oferecem programas de fidelidade têm vantagens para o consumidor que podem gerar economia. O cashback é um ótimo exemplo disso. Você compra e recebe de volta parte do valor gasto.

Portanto, com o mesmo dinheiro você consegue comprar um número maior de produtos.

Talvez você já tenha ignorado esse tipo de iniciativa para poder evitar os cadastros. Mas nunca foi tão necessário receber o seu dinheiro de volta.

2 – Não estoque produtos

Mesmo que a sua cidade determine o lockdown, você ainda poderá sair para comprar produtos essenciais. Portanto, não há necessidade de fazer estoque de produtos.

Se você estocar alimentos, por exemplo, a tendência é que você os consuma mais rápido e, consequentemente, tenha que comprá-los mais vezes.

Um estudo da UERJ mostrou que os casos de ansiedade dobraram desde o início da pandemia. Isso pode ser compensado com mais comida e mais gastos. Portanto, não é recomendável a tentativa de estocagem.

3 – Faça uma lista de compras

Uma pesquisa do SPC Brasil mostrou que 33% das compras em supermercados são feitas por impulso. Você já está no local, vê algo e não lembra se já tem em casa, por isso acaba comprando.

Outra opção é você sentir a necessidade de um produto que, na verdade, você não precisa, mas mesmo assim você leva.

Para evitar esse tipo de impulso é preciso planejar suas compras. A melhor forma de fazer isso é utilizando uma lista. Dessa forma, você só vai aos locais necessários e não fica observando todas as gôndolas.

4 – Pesquise preços

É muito fácil pesquisar preços sem sair de casa. Veja na internet, mas considere o valor total e não o valor por produto.

Como nós estamos passando por um momento de isolamento social o ideal é que você vá a um único estabelecimento para comprar o máximo de produtos.

Por isso, faça uma pesquisa de preços e veja qual compensa mais no valor total. Não se esqueça de analisar quais contém opções como cashback, pois esse diferencial pode te dar um ótimo retorno financeiro.

5 – Evite sites de compras não essenciais

Você precisa gastar dinheiro. Mas você não precisa comprar roupas, sapatos ou produtos para beleza nesse momento. Você pode comprá-los, claro, mas é preciso analisar se os impulsos de compras não estão sendo ocasionados por uma tentativa de compensar o isolamento social.

Portanto, evite os sites nos quais você geralmente compra seus produtos não essenciais.

Fontes 1, 2 e 3

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *